Escrito por em 14/03/2019 (atualização: 04/06/2019)

Quem deseja perder peso logo se questiona: Será que o chá vermelho emagrece mesmo? Para o consenso popular, esse é um dos benefícios dessa bebida. Mas o que dizem os especialistas a respeito desse produto natural?

Também chamado de chá oolong, o chá vermelho é elaborado através da Camellia sinensis. No entanto, essa não é a única infusão feita a partir dessa planta. Isso porque, juntamente com o vermelho há também o preto, branco e o famoso chá verde.

Todas essas infusões possuem semelhanças com relação as propriedades benéficas que oferecem ao organismo. Mesmo assim, cada uma tem suas especificações e são as do chá vermelho que você confere nesse artigo.

Além disso, o Chá Benefícios traz ainda informações sobre como fazer essa infusão e como ela deve ser ingerida. E você ainda pode ficar por dentro das curiosidades envolvendo essa planta e as suas contraindicações.

Chá vermelho emagrece mesmo?

Sim, o chá vermelho consegue reduzir medidas graças aos componentes encontrados nessa infusão. Nesse caso, são as chamadas catequinas, um tipo de polifenol com propriedades antioxidantes.

Chá vermelho e fita métrica

Chá vermelho promove redução do peso e da circunferência da cintura (Foto: deposithotos)

Para comprovar esse argumento, um estudo foi elaborado envolvendo 38 japoneses com idade entre 26 e 46 anos e todos eles em condição de sobrepeso. Os participantes foram divididos em dois grupos.

O primeiro grupo “ingeriu uma garrafa do extrato de chá oolong (fermentado) que continha 690 mg de catequinas e o grupo controle receberam uma garrafa de chá oolong com 22 mg de catequinas durante 12 semanas.” (1)

Como resultado, o peso corporal, o índice de massa corporal (IMC), a circunferência da cintura, a massa corporal de gordura e a área de gordura subcutânea foram menores no primeiro grupo. Evidenciando assim as propriedades emagrecedoras do chá através das quantidades de catequinas.

Mas além disso, o chá vermelho também possui propriedades diuréticas. Isso significa dizer que quem o consome tem aumento no volume e no grau do fluxo urinário.

Assim, poderá eliminar a retenção de líquidos e de outras substâncias como sódio e potássio. Proporcionando a sensação de perda de peso devido ao desinchaço corporal.

Para que serve o chá vermelho?

O chá vermelho é antioxidante, por isso protege as células contra a ação dos radicais livres. Isso significa dizer que essa infusão previne o envelhecimento precoce e as doenças degenerativas, como o próprio câncer. A propósito, é considerado antimutagênico. (2)

Já no Japão e na Tailândia, essa bebida passou a ser adotada juntamente com o tratamento da diabetes tipo 2. Com isso, os pacientes apresentaram um quadro mais positivo, uma vez que o chá “mostrou ser um complemento eficaz aos agentes hipoglicemiantes orais.” (3)

Outros benefícios dessa infusão são: redução do nível de colesterol, controle da pressão arterial, redução da glicemia no sangue e melhora na flora bacteriana do intestino. (4)

Por fim, mas um efeito benéfico do chá oolong, a ação antibacteriana. Por essa razão, é uma planta que age no intuito de inibir o crescimento e desenvolvimento das bactérias. Consequentemente, previne o organismo de determinadas doenças causadas por esses agentes.

Receita e como tomar

A receita do chá vermelho é muito simples, uma vez que só são necessários dois únicos ingredientes, são eles: a própria planta e água filtrada.

Nesse caso, comece fervendo 200 ml de água. Depois do processo de ebulição, desligue o fogo e despeje a água sobre uma xícara contento uma colher (de chá) do chá vermelho. Tampe o recipiente e aguarde por até 3 minutos.

Após o tempo determinado, coe a infusão e beba logo em seguida sem adicionar açúcar, adoçante ou mel. O ideal é consumir até duas vezes por dia, mas sempre optando pelos períodos diurnos.

Assim como o chá verde, preto e branco, o chá vermelho também possui cafeína em sua composição. Por isso que o consumo noturno dessa bebida promove a perda do sono, podendo progredir para um quadro de insônia.

Além de todas essas informações, é importante ressaltar que a Camellia sinensis em forma de chá oolong também pode ser encontrada em forma de saquinho. Nesses casos, basta ferver os 200 ml de água e despejá-los sobre o sachê desse remédio natural, aguardando o mesmo tempo indicado inicialmente.

Curiosidades sobre a Camellia sinensis

Como já mencionado no início desse artigo, a Camellia sinensis pode dar origem a diversos tipos de chás. A diferença entre eles está na forma de colheita e preparo. Assim, surgem folhas mais ou menos processadas.

O mais famoso deles é o chá verde. ” No chá verde, logo após a colheita, o processo se inicia e as enzimas foliares são inativadas pela exposição ao calor, evitando a oxidação enzimática.” Já no chá preto, outro popular produto natural, a oxidação acontece por um período mais longo. (2)

Por outro lado, o chá vermelho ou ooolong tem as folhas cortadas e picadas. Por essa razão, passam por um breve período de oxidação, ficando entre o tipo verde e o tipo preto. (2)

Enquanto isso, o tipo branco é elaborado com as folhas jovens da Camellia. Além disso, não passam pelo processo de oxidação. Sendo assim, trata-se do tipo de bebida mais rica em antioxidantes e a que possui o sabor mais agradável. (2)

Com tudo isso, é importante informar que “quanto menor a fermentação, maior a quantidade de catequinas, principalmente de epigalocatequina-galato.” (5) E como já foi citado, são essas substâncias capazes de reduzir medidas.

Contraindicações do chá vermelho

Assim como todos os medicamentos, sejam eles naturais ou não, o chá vermelho possui contraindicações. Grávidas, lactantes, crianças e idosos devem evitar o consumo dessa bebida.

Já os hipertensos precisam consultar o médico antes de usar o chá vermelho, evitando interações medicamentosas.

Para as demais pessoas, o uso deve ser feito de forma consciente. Como já mencionado, essa bebida possui um alto teor de cafeína, causando perda de sono em doses muito elevadas ou se consumido no período noturno.

Outros tipos de chá vermelho

Não há apenas o chá vermelho oriundo da Camellia sinensis. Na verdade, outras infusões também podem receber esse nome devido a coloração que apresentam.

Chá de hibisco

Chá de hibisco também pode ser chamado de chá vermelho (Foto: deposithotos)

Por exemplo, o chá de hibisco pode ser chamado de chá vermelho. Além desse, também há as infusões feitas com frutas vermelhas, como morango, mirtilo, cereja etc.

Por fim, existe ainda outra bebida com esse nome: o rooibos. Ao contrário da infusão avermelhada da Camellia, esse outro chá é benéfico para as crianças que sofrem com cólica e promove um efeito calmante, melhorando a irritabilidade e acabando com a insônia. (6)

Referências científicas

(1) CONCEIÇÃO, Mirza de Souza; FERREIRA, Célia Cristina Diogo; NASCIMENTO, Kamila de Oliveira. “O papel coadjuvante das catequinas do chá verde (Camellia sinensis) na redução da adiposidade”, Revista Verde, Pombal – PB, v 9, nº. 5, 2014. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/275275215_O_papel_coadjuvante_das_catequinas_do_cha_verde_Camellia_sinensis_na_reducao_da_adiposidade. Acesso em 28 de fevereiro de 2019.

(2) BRAIBANTE, Mara Elisa Fortes; SILVA, Denise da; BRAIBANTE, Hugo T. Schmitz; PAZINATO, Maurícius Selvero. “A química dos chás”, 2013. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/prelo/QS-47-13.pdf. Acesso em 28 de fevereiro de 2019.

(3) FIB, Revista. “A alquimia dos chás”, Food Ingredients Brasil, nº 37, 2016. Disponível em: http://revista-fi.com.br/upload_arquivos/201606/2016060600322001465239547.pdf. Acesso em 28 de fevereiro de 2019.

(4) SANTOS, Elizabete A. dos. “Chá vermelho, branco, verde… Qual a diferença?”, Nutri Bem Viver, São Paulo, 2011. Disponível em: http://nutribemviver.blogspot.com/2011/05/cha-vermelho-branco-verde-qual-e.html. Acesso em 28 de fevereiro de 2019.

(5) SÁ, Raquel Salomoni de; TURELLA, Taise Kethin; BETTEGA, Janine Pereira Ramos. “Os efeitos dos polifenóis: catequinas e flavonoides da Camellia sinensis no envelhecimento cutâneo e no matabolismo dos lipídeos”, Artigo Científico, Universidade do Vale do ItajaÍ (Univale). Disponível em: http://siaibib01.univali.br/pdf/Raquel%20Salomoni%20de%20Sa%20e%20Taise%20Kethin%20Turella.pdf. Acesso em 28 de fevereiro de 2019.

(6) TEIXEIRA, Antônio. “Chá vermelho”, 2018. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BizuTt_BjGt/. Acesso em 28 de fevereiro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.