Escrito por em 14/06/2019

Você já ouviu falar nos benefícios do chá de salsa para os rins? Tradicionalmente, a infusão preparada com as folhas da erva são indicadas para desintoxicar os rins e para o tratamento de infecções urinárias. Mas será que essas funções têm fundamento?

Neste artigo do Chá Benefícios você vai descobrir a resposta para esta pergunta e ainda quais são os principais benefícios e as contraindicações para o uso da salsa. Confira!

É verdade que o chá de salsa é benéfico para os rins?

Sim, o chá de salsa realmente faz bem para a saúde dos rins. A erva é utilizada para este fim na medicina tradicional, por ser considerada um purificador do sangue e conseguir dissolver cálculos renais.

Mulher colocando chá na xícara

O principal benefício do chá de salsa para os rins é a ação purificadora do sangue (Foto: depositphotos)

O que acontece é que a salsa contém substâncias com efeitos diuréticos. Ou seja, os fitoquímicos presentes nela aumentam o volume de urina, uma vez que elevam a taxa de filtragem do sal existente no sangue.

Com isso, os rins filtraram mais sangue ao longo do dia. Ocasionando a eliminação de substâncias nocivas ao trato urinário e que podem causar infecções, fibrose renal e até mesmo pedras e falência dos órgãos.

Além disso, a salsa é rica em antioxidantes e vitamina C, substâncias capazes de expulsar as impurezas que podem acumular no trato urinário, evitando uma série de problemas graves.

Outro grande benefício é a ação eficaz do chá contra alguns tipos de bactérias que atingem o trato urinário, aumentando o risco de infecções. Fazendo com que essa bebida seja uma alternativa com menos efeitos colaterais que as opções convencionais. (1, 2, 3, 4)

Principais benefícios da erva

Você viu que o chá de salsa é rico em substâncias que fazem bem para a saúde dos rins. Porém, o consumo dessa erva traz ainda diversos outros benefícios para o organismo.

Descubra nos tópicos a seguir quais são os demais efeitos benéficos da salsa que é rica em vitamina K e propriedades medicinais.

Rica em substâncias antioxidantes

As folhas da salsa são extremamente ricas em substâncias antioxidantes. Por exemplo, é possível encontrar flavonoides, carotenoides, ácido ascórbico e compostos voláteis. Todas essas enzimas atuam reduzindo em até 65% a ação dos radicais livres no organismo.

A longo prazo, o consumo de alimentos antioxidantes ajuda a reduzir o risco de desenvolvimento de diversas doenças. Além disso, protege o corpo do envelhecimento precoce e da degradação natural das células, que pode ser causada pela má alimentação. (5, 6, 7)

Ajuda no controle da glicose

O chá de salsa ainda é um poderoso anti-diabético. Isso porque, a erva tem ação antioxidante, diminuindo a oxidação das células responsáveis por liberar a insulina, o hormônio que promove a digestão do açúcar.

Dessa maneira, os níveis de glicose no sangue diminuem naturalmente. Fazendo com que os danos causados pela alta desta substância no sangue sejam atenuados.

Ao mesmo tempo, o chá consegue proteger o coração e o fígado dos danos causados pela glicose. Por isso, a salsa é considerada uma opção para quem não sofre de diabetes, mas possui os níveis de açúcar no sangue maiores que o normal ou resistência à insulina.  (5, 7)

Alivia as dores

Devido à presença dos compostos antioxidantes e da ação anti-espasmódica da salsa, o chá dessa erva se torna um analgésico natural.

Os antioxidantes protegem as células dos danos, enquanto que as substâncias anti-espasmódicas diminuem as contrações musculares. Ações bastante comuns em episódios de dores, por causa do aumento do fluxo sanguíneo na região.

Ainda por cima, alguns componentes fitoquímicos encontrados na salsa conseguem impedir a liberação de substâncias responsáveis pela percepção da dor. Desse modo, há um alívio natural e sem os efeitos colaterais presentes nos medicamentos sintéticos. (5, 7)

Fortalece o sistema imunológico

Outro motivo para consumir o chá de salsa é a sua capacidade de fortalecer o sistema imunológico. É preciso, antes de tudo, saber que existem diversas substâncias que atuam melhorando a ação das células de defesa no organismo.

Algumas dessas são os antioxidantes e a vitamina C. Ambos encontrados em grandes quantidades nas folhas de salsa. Desse modo, consumir a erva em forma de infusão ou in natura estimula a formação e ação dos anticorpos.

Com isso, o organismo fica mais preparado para agir contra infecções e outros problemas. Fazendo com que você fique menos suscetível a adoecer. (5, 7)

Regula a menstruação

Algumas das substâncias encontradas nas folhas da salsa possuem a capacidade de regular o ciclo menstrual. Isso acontece graças à estimulação do estrogênio, hormônio feminino ligado ao controle da ovulação.

Dessa forma, as mulheres podem consumir o chá de salsa seja para tratar problemas relacionados ao período menstrual, diminuir as cólicas durante o período ou aumentar a fertilidade. (5, 7)

Combate as bactérias

A salsa é tradicionalmente indicada para tratar infecções urinárias, principalmente por conta do seu efeito antibacteriano.

Ou seja, as substâncias encontradas nas partes aéreas da erva conseguem inibir o crescimento de diversos tipos de bactérias, especialmente as que atacam os rins, fígado e estômago. (5, 7, 8)

Salsa

A salsa é antioxidante, anti-inflamatória e antibacteriana (Foto: depositphotos)

Atua no combate às infecções

Graças à junção dos efeitos antioxidantes e antibacterianos, a salsa apresenta uma forte ação anti-inflamatória. Em primeiro lugar, é preciso saber que a inflamação é a resposta de defesa do organismo contra lesões.

Ela ocorre devido ao acúmulo das células de defesa no local afetado e do aumento do fluxo sanguíneo na região. O que dá o efeito vermelho, quente e dolorido que a inflamação deixa no local afetado.

Graças à ação dos antioxidantes, que diminuem a ação dos radicais livres, esse processo é atenuado. Além disso, as propriedades antibacterianas contribuem para a expulsão do elemento que está causando o processo inflamatório.

Por fim, também podem ser encontrados na salsa alguns componentes que impedem que os anticorpos liberem substâncias que atacam o tecido afetado. Essas substâncias servem para eliminar as ameaças, mas resultam na morte das células saudáveis da região. (6)

Rica em vitaminas e minerais

Em apenas uma xícara de chá da erva é possível encontrar mais de 10 vezes os níveis diários de vitamina K e mais do que o recomendado por dia para as vitaminas A e C. Também são encontradas as vitaminas do complexo B, como a B3, B5, B6 e B9 ou folato.

Minerais a exemplo do cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio e zinco também podem ser encontradas nessa infusão. Além de cobre, selênio e manganês em pequenas quantidades, mas que são absorvidos pelo organismo.

Tudo isso com poucas calorias, pois o equivalente à 60 gramas (ou uma xícara de salsa) contém apenas 21 calorias. (9)

Protege o cérebro

Um estudo realizado em 2016 indicou que o chá de salsa pode ajudar a reduzir os danos cerebrais causados pela oxidação das células. Parte desse benefícios está relacionada à grande quantidade de antioxidantes presentes na erva.

Dessa forma, a salsa contribui para o aumento das conexões entre os neurônios, prevenindo o surgimento de doenças degenerativas e melhorando a memória a longo prazo. (7)

Diminui os riscos de acidentes cardiovasculares

Por fim, consumir diariamente o chá de salsa pode diminuir os riscos de acidentes cardiovasculares. Graças à ação do antioxidante carotenoide, que atua diminuindo a pressão sanguínea e os espasmos cardíacos.

Além disso, inibe a ação dos radicais livres, protegendo as células do coração de sofrer danos e o acúmulo de plaquetas. Com isso, o órgão se mantém saudável por mais tempo e consegue se regenerar melhor após sofrer danos. (5, 7)

Como preparar o chá de salsa?

Você viu os benefícios do chá de salsa para o organismo e quer adicionar a bebida ao seu dia a dia? Pois saiba que ela é super fácil de ser preparada, ficando pronta em poucos minutos.

Uma dica importante é sempre que possível utilizar as folhas frescas da erva, por manter melhor as propriedades medicinais da salsa. Dito isso, veja como preparar!

Ingredientes:

  • 4 colheres (de sopa) bem cheias de folhas de salsa
  • 2 xícaras de água.

Modo de preparo:

Leve a água ao fogo até que levante fervura. Feito isso, desligue o fogo e acrescente a salsa. Logo depois, tampe a panela e deixe em infusão por 10 minutos. Terminado o tempo, basta coar as folhas e o chá está pronto para ser ingerido.

O ideal é que a infusão seja consumida sem açúcar. No entanto, nem todos podem apreciar o sabor marcante da salsa. Por esse motivo, você pode preparar a bebida misturando limão, canela, gengibre ou o mel.

Todos esses ingredientes ajudam a potencializar os efeitos positivos da salsa, ao mesmo tempo em que disfarçam o sabor forte da erva.

Chá de salsa com limão

Rodelas de limão podem disfarçar o gosto marcante da salsa (Foto: depositphotos)

Quando e como ele deve ser consumido?

O ideal é consumir o chá no máximo três vezes ao dia. Sempre após as refeições, para que ela possa ser absorvida rapidamente.

Para problemas renais, esse tratamento deve ser feito por um período de 30 dias. Após esse tempo, você deve manter um período de mais 30 dias para desintoxicação, em que deve ficar sem consumir a salsa.

Esse processo serve para evitar sobredoses e problemas relacionados a reações alérgicas em pessoas mais sensíveis.

Cuidados e contraindicações para a erva

Por ser uma erva usada para fins culinários, a salsa é considerada segura para o consumo. No entanto, o chá de salsa deve ser feito com cuidado.

Em primeiro lugar, não se deve fazer o consumo do chá pouco tempo antes ou depois de procedimentos cirúrgicos. Por causa da ação hipoglicêmica, que pode atrapalhar a recuperação e também por diminuir o agrupamento de plaquetas.

Essas ações também fazem com que a salsa não possa ser consumida junto com anticoagulantes, pois pode potencializar os efeitos desses remédios no organismo.

Mulheres grávidas ou lactantes também devem evitar a salsa, pois ela pode ser abortiva ou diminuir a produção de leite. Tudo isso, devido ao aumento do estrogênio, que favorece a ovulação.

Mesmo que a principal indicação do chá de salsa seja para os rins, ele não deve ser tomado por quem sofre com problemas crônicos que envolvam esse órgão. Isso devido ao poder estimulante, que pode comprometer a musculatura do órgão e até mesmo levar à falência total do mesmo. (8)

Referências

(1) JASSIM, Adnam. M. “Protective Effect of Petroselinum crispum(parsley)extract on histopathological changes in liver ,kidney and pancreas induced by Sodium Valproate- In male Rats“. Kufa Journal for Medical Veterinary Sciences, v.4 n.1, p.20-27, 2013. Disponível em: https://www.iasj.net/iasj?func=fulltext&aId=82456. Acesso em 27 de abril de 2019.

(2) NIELSEN, S. E. et al. “Effect of parsley (Petroselinum crispum) intake on urinary apigenin excretion, blood antioxidant enzymes and biomarkers for oxidative stress in human subjects“. British Journal of Nutrition, v.81 p.447-455, 1999. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10615220. Acesso em 27 de abril de 2019.

(3) AL-KAREEMI, Khalida Kareen. “Inhibitory Effect of Parsley (Petroselinum Crispum) Juice Against Some Urinary Pathogens in Vitro“. Iraq Academic Scientific Journal, v.11, n.3, p.336-342, 2012. Disponível em: https://www.iasj.net/iasj?func=article&aId=59277. Acesso em 27 de abril de 2019.

(4) REZAZAD, Maryan; FAROKHI, Farah. “Protective effect of Petroselinum crispum extract in abortion using prostadin-induced renal dysfunction in female rats“. Avicenna Journal of Phytomedicine, v.4, n.5, p.312-319, 2014. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4224708/. Acesso em 27 de abril de 2019.

(5) FARZEI, Mohammad Hosein et al. “Parsley: a review of ethnopharmacology, phytochemistry and biological activities“. Journal of Tradicional Chinese Medicine, v.33, n.5, p.815-826, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S0254-6272(14)60018-2. Acesso em 27 de abril de 2019.

(6) LEANDRO, Raquel Nobre. “Avaliação do potencial anti-inflamatório, antioxidante e antimicrobiano de extratos de segurelha, salsa e coentros“. 2015. Disponível em: https://run.unl.pt/handle/10362/16083. Acesso em 27 de abril de 2019.

(7) AGYARE, C. “Petroselinum crispum: a Review“. Medicinal Spices and Vegetables from Africa, p.527-547, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1016/B978-0-12-809286-6.00025-X. Acesso em 27 de abril de 2019.

(8) CHARLES, D.J. “Salsa“. Handbook of Herbs and Spices, v.1, capítulo 4, p.430-451, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1533/9780857095671.430. Acesso em 27 de abril de 2019.

(9) SELFNutritionData. “Parsley, raw“. Disponível em: https://nutritiondata.self.com/facts/vegetables-and-vegetable-products/2513/2. Acesso em 27 de abril de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio (Mtb-PE: 6770). Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.