Escrito por em 16/07/2019

Você já ouviu falar em abóbora d’anta? A trepadeira é considerada uma erva-daninha por muitos, mas traz diversos benefícios para a saúde. Entre eles podemos citar a diminuição da glicose e do colesterol ruim no sangue.

Além disso, a infusão preparada com as folhas da erva é bastante utilizada para tratar problemas como parasitas intestinais e infecções causadas pela ação de vírus, fungos e bactérias.

Também é considerada um hipotensivo natural, mas possui muitos outros benefícios para o organismo.

Quer saber mais? Continue lendo esse artigo, pois o Chá Benefícios vai mostrar oito vantagens do consumo da abóbora d’anta para a saúde, como preparar o chá e ainda os cuidados e contraindicações da erva. Confira!

Propriedades medicinais da abóbora d’anta

A abóbora d’anta ou melão-de-são-caetano, como a erva é conhecida em algumas regiões, possui propriedades antioxidantes (1), analgésica, anti-inflamatória, antiviral, antibacteriana e antifúngica. (2)

Pé de abóbora d'anta

A abóbora d’anta serve para reduzir o colesterol e a glicose do sangue (Foto: depositphotos)

Essas propriedades medicinais encontradas nas folhas da planta são derivadas dos compostos fitoquímicos encontrados na erva.

Entre os principais componentes é possível citar os flavonoides, taninos, saponinas, compostos fenólicos e esteroides, também chamados de triterpenos. (3)

Além dessas propriedades já citadas, o chá preparado com as folhas da abóbora d’anta traz diversos benefícios para a saúde. A seguir você irá descobrir alguns deles. Confira!

Trata infecções

Por possuir propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais, o chá feito com as folhas da abóbora d’anta é um poderoso agente no tratamento de diversos tipos de infecções, principalmente as de pele.

Como é o caso da psoríase, doença que causa coceira e vermelhidão, e tem entre suas diversas causas infecções decorrentes da ação de fungos ou bactérias. (2)

Isso acontece porque a erva é rica em substâncias que inibem a proliferação desses micro-organismos. Ao acabar com o ciclo de vida deles, a infecção pode ser controlada mais rapidamente. (2, 4)

Reduz a pressão arterial

O chá de abóbora d’anta também pode ser uma maneira natural de reduzir a pressão sanguínea. Isso acontece porque a erva apresenta substâncias que conseguem melhorar a circulação do sangue pelo corpo. (2)

Contudo, a infusão deve ser usada apenas como tratamento complementar e sempre com a autorização médica, principalmente por quem já sofre de hipertensão.

É um redutor natural do colesterol ruim

Outro benefício da infusão é na redução do colesterol ruim, conhecido como LDL. Esse benefício também é derivado dos compostos fitoquímicos encontrados nas folhas da erva, especialmente os que possuem função antioxidante.

O que acontece é que esses compostos impedem a oxidação dos lipídeos (as gorduras), processo que traz diversos malefícios para o organismo. Além disso, favorece a eliminação dos mesmos através das fezes. (2)

Diminui a glicose no sangue

Pessoas diabéticas também podem se beneficiar com o uso dessa erva, pois ela é hipoglicêmica. Isso significa dizer que ela ajuda a reduzir o nível de glicose (açúcar) que circula pela corrente sanguínea.

Esse benefício só é possível pois a planta aumenta o uso de glicose pelos músculos. Na prática, isso faz com que o corpo gaste o açúcar que está em circulação no sangue, diminuindo os danos causados pelo excesso dessa substância. (2)

Além disso, os compostos fitoquímicos da abóbora d’anta conseguem inibir a produção de enzimas que transformam os carboidratos em glicose. Ao mesmo tempo, estimula a liberação de insulina pelo pâncreas. (5)

Ajuda no tratamento dos parasitas intestinais

Tradicionalmente, o chá feito com as folhas do melão-de-são-caetano são utilizadas como um anti-helmíntico natural. Isso significa que a infusão é capaz de tratar as infecções causadas pelos parasitas intestinais.

Em alguns casos, pode ser mais eficaz que os medicamentos sintéticos. Além disso, pode ser usada para tratar a doença em animais. (2)

Fortalece o sistema imunológico

O chá de abóbora d’anta também possui a capacidade de fortalecer o sistema imunológico devido à ação conjunta de várias das suas substâncias fitoquímicas.

No organismo, elas agem estimulando a produção de novas células de defesa, principalmente os macrófagos, que são capazes de engolir as substâncias intrusas no organismo. (2)

Além dos macrófagos, o melão-de-são-caetano também estimula a produção de imunoglobulina, um tipo de anticorpo, e das células exterminadoras naturais. (6)

Reduz os riscos de desenvolver câncer

A abóbora d’anta consegue reduzir os riscos de desenvolver alguns tipos de câncer devido a um conjunto de fatores. O primeiro é a capacidade antioxidante, que atua impedindo a mutação celular. (2, 5)

Em segundo lugar está a ação das células exterminadoras naturais (NK), que atuam diretamente na luta contra o câncer.

Essas células conseguem identificar os pontos onde os tumores estão se formando e eliminam os mesmos logo no início. Desse modo, a doença não consegue se desenvolver. (6)

Diante disso, é importante destacar também que câncer é um nome que engloba mais de 100 tipos de doenças. Mas todas elas têm em comum o crescimento das células de maneira desordenada.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), essa característica faz com que a doença não tenha uma causa única.

Portanto, podem ter origem genética ou de hábitos. Por isso, a prevenção deve sempre contar com uma alimentação e hábitos de vida mais saudáveis. (7)

Auxilia na perda de peso

Por fim, o chá da erva auxilia na perda de peso por alterar a maneira como o organismo utiliza a glicose e os lipídios.

Como já foi mencionado, a abóbora d’anta intensifica o uso do açúcar pelos músculos e favorece o descarte da gordura.

Na prática, isso faz com que o corpo queime ainda mais calorias ao longo do dia. Ao mesmo tempo, diminui a absorção dessas substâncias pelo corpo, o que acarreta no emagrecimento saudável. (8)

Chá e frutos da abóbora d'anta

Essa infusão também auxilia na perda de peso, pois facilita a eliminação da gordura (Foto: depositphotos)

Como preparar a infusão?

O ingrediente utilizado no chá é a própria folha da abóbora d’anta, e o modo de preparo é bem simples. Confira!

Ingredientes:

  • 2 colheres (de sopa) de folhas de abóbora d’anta
  • 1 litro de água filtrada.

Modo de preparo:

Leve a água ao fogo até que comece a borbulhar. Quando isso acontecer, acrescente as folhas do melão-de-são-caetano, que devem estar bem lavadas. Deixe cozinhar por mais 5 minutos.

Passado esse tempo, desligue o fogo e tampe a panela, deixando o chá em infusão por mais 10 minutos. Por fim, basta coar e beber o chá no máximo três vezes ao dia e sem adoçar.

Onde encontrar a abóbora d’anta?

A abóbora d’anta pode ser encontrada facilmente em todo o Brasil. Por ser considerada uma erva daninha, é bastante comum encontrá-la crescendo em terrenos baldios, onde se desenvolve por muros e cercas.

No entanto, a planta também é comercializada em feiras livres e lojas especializadas em produtos fitoterápicos.

Cuidados e contraindicações do consumo

Como qualquer outra erva, é importante tomar alguns cuidados com o consumo da abóbora d’anta, especialmente na quantidade ingerida diariamente e na forma de consumo.

Por exemplo, acima de três doses por dia, a erva pode causar problemas hormonais, gastrintestinais, hematológicos e hepáticos. (5)

Além disso, a erva é conhecida pelos efeitos abortivos e teratogênicos. Portanto, mulheres grávidas não devem consumir o chá em nenhuma hipótese, com o risco de aborto, parto prematuro ou malformação fetal. (2)

Fruto de melão-de-são-caetano

O fruto do melão-de-são-caetano possui substâncias tóxicas e por isso precisa de cuidado ao ser consumido (Foto: depositphotos)

Já quando é usada em conjunto com medicamentos para controle de glicose e colesterol, a planta pode potencializar os efeitos deles. Portanto, só deve ser usada sob prescrição e com acompanhamento médico. (8)

Por fim, os frutos da planta possuem substâncias tóxicas e que podem causar coma hipoglicêmico, que acontece quando os níveis de glicose no sangue estão muito baixos.

Além disso, convulsões, dores de cabeça e até mesmo infertilidade podem ser efeitos colaterais dos frutos de abóbora d’anta em pessoas sensíveis. Portanto, se for consumir, faça isso com cuidado e sem excessos. (2)

Referências científicas

(1) KUBOLA, Jittawan; SIRIANIRNPUN, Sirithon. “Phenolic contents and antioxidant activities of bitter gourd (Momordica charantia L.) leaf, stem and fruit fraction extracts in vitro“. Food Chemistry, v.110, p.881-890, 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2008.02.076. Acesso em 20 de junho de 2019.

(2) GROVER, J.K. YADAV, S.P. “Pharmacological actions and potential uses of Momordica charantia: a review“. Journal of Ethnopharmacology, v.93, p.123-132, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jp.2004.03.035. Acesso em 20 de junho de 2019.

(3) ZOCOLER, Analice Martins Daleffi et al. “Contribuição ao Controle de Qualidade Farmacognóstico das Folhas e Caules de Melão-de-São Caetano (Momordica charantia L. – Cucurbitaceae)“. Acta Farm. Bonaerense, v.25, n.1, p.22-27, 2006. Disponível em: www.latamjpharm.org/trabajos/25/1/LAJOP_25_1_1_4_AA8Y444095.pdf. Acesso em 20 de junho de 2019.

(4) ZHANG, Fan; LIN, Lihua; XIE, Jianhua. “A mini-review of chemical and biological properties of polysaccharides from Momordica charantia“. International Journal of Biological Macromolecules, v.92, p.246-253, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijbiomac.2016.06.101. Acesso em 20 de junho de 2019.

(5) BASCH, Ethan; GABARDI, Steven; ULBRICHT, Catherine. “Bitter melon (momordica charantia): A review of efficacy and safety“. American Society of Health-System Pharmacists, v.60, p.356-359, 2003. Disponível em: https://doi.org/10.1093/ajhp/60.4.356. Acesso em 20 de junho de 2019.

(6) FANG, E.F. NG, T.B. “Bitter Gourd (Momordica charantia) is a Cornucopia of Health: A Review of its Credited Antidiabetic, Anti-HIV, and Antitumor Properties“. Current Molecular Medicine, v.11, p.417-436, 2011. Disponível em: https://www.omicsonline.org/open-access/can-bitter-gourd-momordica-charantia-be-a-novel-therapy-for-human-cancers-2167-0412.1000e101.php?aid=3998. Acesso em 20 de junho de 2019.

(7) Instituto Nacional do Câncer. “O que é Câncer?“. Disponível em: https://www.inca.gov.br/o-que-e-cancer. Acesso em 20 de junho de 2019.

(8) KUMAR, D. Sathish et al. “A medical potencyof momordica charantia“. International Journal of Pharmaceutical Sciences review and research, v.1, n.2, p.95-100, 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/265022065_A_medicinal_potency_of_Momordica_charantia. Acesso em 20 de junho de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio (Mtb-PE: 6770). Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.