Escrito por em 15/03/2018

Na hora de optar por aquele remédio natural, é sempre bom lembrar que alguns chás têm cafeína.

Ainda que sejam tomados para aproveitar todo o prazer que a bebida proporciona ou com fins curativos, a presença de certas substâncias pode prejudicar a dieta ou agravar algum problema de saúde.

Além de serem bastante populares, os chás com cafeína, quando em contato com a corrente sanguínea, podem trazer alguns efeitos para o corpo.

A partir desses efeitos, dependendo do paciente, podem ser benéficos ou então funcionar como agravante do problema. Por isso, antes de incluir qualquer chá na sua rotina, o mais aconselhável é consultar o médico.

Só esse profissional possui conhecimento suficiente para certificar que o chá não trará efeitos indesejados. Fora isso, a partir da realização do tratamento, o que se espera é que ele surta efeito, certo? Por isso que a opinião médica é tão importante.

Chás que apresentam cafeína

Depois de conhecer um pouco sobre os cuidados que devem ser tomados no que diz respeito a ingestão dos chás, agora chegou a hora de conhecer quais são os chás que apresentam cafeína na sua composição.

Dessa forma, os chás que possuem cafeína são: chá mate, chá verde e chá preto. Agora, conheça um pouco mais sobre cada um deles:

Chá mate

O chá mate é um exemplo de bebida que contém cafeína

Uma marca dessa bebida é que ela é termogênica (Foto: depositphotos)

Uma xícara de chá feito com a erva mate possui, em média, de 20 a 30 miligramas de cafeína. A erva mate é uma bebida sul americana feita de folhas de uma árvore chamada de mate.

Além da presença de cafeína, a erva mate contém teobromina e teofilina, encontradas na composição de chocolate, café e outros tipos de chá.

A ação da erva mate está associada à perda de peso, justamente pelo efeito termogênico que possui. Isso contribui para a queima de calorias, aumento de diurese e supressão de apetite.

Veja também: Chá mate faz mal? Saiba

Chá verde

O chá verde possui entre 25 a 40 miligramas de cafeína em cada xícara

Esse chá é o número 1 quando o assunto é emagrecimento (Foto: depositphotos)

O chá verde possui entre 25 a 40 miligramas de cafeína em cada xícara. Ele é produzido a partir de uma planta chamada de Camellia sinensis. É através dessa mesma planta também que se obtém o chá branco e o chá preto.

Esse tipo de chá é bastante conhecido pelas propriedades antioxidantes e também pelo efeito termogênico, ou seja, contribui para a queima de gordura corporal. Por isso que está presente no cardápio de muitas pessoas.

Veja também: 9 verdades que você precisa saber sobre o chá verde

Chá preto

O chá preto é tido como o chá que mais contém cafeína

Uma xícara de chá preto possui contém de 15 a 60 miligramas de cafeína (Foto: depositphotos)

Como foi informado anteriormente, o chá preto também é originário da planta Camellia sinensis. O que muda em relação as outras variedades é o processamento pelo qual as folhas são submetidas.

Uma xícara de chá preto possui contém de 15 a 60 miligramas de cafeína. Assim como o chá verde, o uso do chá preto está associado ao emagrecimento, justamente pelo poder que a cafeína tem sobre o corpo.

Veja também: Chá preto em excesso pode causar câncer, aponta estudo

Cafeína vicia?

A cafeína é uma substância que pode provocar uma série de reações no corpo humano, entre elas, deixá-lo em estado de alerta. Dependendo da quantidade de cafeína consumida durante o dia, o corpo pode se habituar a ela.

Dessa forma, cria-se certa dependência do ingrediente, causando, inclusive, alguns sintomas pela sua ausência. Sim! A cafeína pode apresentar-se como viciante, interferindo, principalmente, no funcionamento do sistema nervoso.

Quanto consumir de cafeína por dia?

De acordo com relatório publicado pelo comitê científico da European Food Safety Authority (EFSA), existe um limite tido como seguro para ingestão de cafeína. Isso levando em consideração um dia.

O estudo diz que o limite diário seguro para ingestão de cafeína é de 400 mg, em média, ao dia. Isso equivale a cerca de quatro xícaras de café, quando levado em consideração um indivíduo adulto com cerca de 70 kg.

Porém, esse valor não é o mesmo quando esse indivíduo se encontra em condição especial. No caso das mulheres grávidas ou que estão em processo de amamentação essa quantidade cai para 200 mg ao dia.

Benefícios da cafeína

Quando ingerida de forma correta, a cafeína pode trazer uma série de benefícios para a saúde humana. Sendo assim, contar com os chás mate, verde e preto pode ser uma boa ideia.

A cafeína é diurética, o que contribui para eliminação de fluidos corporais. Ela também apresenta efeito termogênico, o que faz com que o metabolismo corporal seja acelerado. Com o aumento da queima de calorias vem o emagrecimento.

A cafeína é benéfica para o cérebro, pode ser consumida como antidepressivo e em favor do bom humor. Alguns estudos ainda afirmam que a cafeína pode diminuir o risco de doenças como Parkinson, Alzheimer e até mesmo gota.

Efeitos da cafeína no corpo

A cafeína deixa o corpo em estado de alerta

A cafeína pode apresentar-se como viciante (Foto: depositphotos)

Em contato com a corrente sanguínea, a cafeína circula rapidamente por todo o corpo. Segundo o médico Charles Schwambach, a cafeína “chega ao cérebro em cerca de 20 minutos após a ingestão, onde age aumentando a influência do neurotransmissor dopamina”.

No cérebro, a cafeína presente nos chás mate, verde e preto serve como estimulante. Seu consumo está diretamente ligado ao efeito acentuado sobre a função mental e comportamental.

No sistema nervoso a cafeína atua inibindo a ação dos receptores do neurotransmissor conhecido por adenosina. Ele age no controle da frequência cardíaca, da pressão sanguínea e da temperatura corporal.

Outra ação desse neurotransmissor é induzir a sensações de sono e cansaço. Nesse caso, os efeitos sentidos pelo paciente são insônia e agitação. “A cafeína é um estimulante e como tal pode interferir no sono e causar insônia”, reforça Schwambach.

Veja também: 20 opções de chás naturais para emagrecer

O consumo regular da cafeína também interfere no funcionamento de outras partes do corpo. Ela aumenta o fluxo urinário e a produção de ácidos digestivos, traz o relaxamento muscular e controla as vias respiratórias.

“O uso regular da cafeína pode levar ao vício e a descontinuidade da ingestão leva a sintomas de abstinência como dor de cabeça, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e rigidez muscular”, endossa o médico Charles Schwambach.

A ingestão excessiva da cafeína possui também uma relação direta com a doença fibrocística. “Ela é precursora do câncer de mama”, diz o médico. Ela pode causar também “irritação da pele e outras doenças dermatológicas como verrugas e psoríase e favorecer o aparecimento de pólipos intestinais”, pontua.

Vale destacar que, o tempo que a cafeína se mantém no organismo varia entre quatro e seis horas. Por isso que é tão importante que a ingestão dessa substância seja supervisionada pelo médico.