Publicado por Redação

O consumo de chás é uma prática difundida pela humanidade há milênios, independente do uso: medicinal ou apenas para proporcionar prazer. O chá aparece também como uma das bebidas mais populares do planeta, perdendo apenas para a água. Porém, em países como o Sri Lanka, o cultivo do chá é relativamente uma novidade, com apenas 150 anos que foi iniciado.

Atualmente, o Sri Lanka é o terceiro maior país produtor de chá a nível mundial, detendo 9% da produção global. Além do mais, as ervas produzidas por lá são consideradas as melhores de que se tem notícia, isso levando em consideração o aroma, qualidade e sabor.

Esse título foi atestados por especialistas na bebida de vários países do mundo. Essa posição orgulha o Sri Lanka e faz jus a comemoração.

O cultivo de chás no Sri Lanka

O Sri Lanka passou a se destacar como produtor de chás no ano de 1867. O fato se deu a partir do empreendedor escocês James Taylor, responsável pela introdução de técnicas de cultivo comercial da commodity na ilha. A plantação foi iniciada em Loolecondera Estate, em Kandy. A propriedade usada para iniciar a produção das ervas tinha pouco mais de 76.000 m².

O Sri Lanka é detentor do chá certificado como ‘Amigo da Camada de Ozônio’

O cultivo de chás emprega 10% da população do Sri Lanka (Foto: depositphotos)

Seis anos depois do início do cultivo da erva, Taylor conseguiu o primeiro carregamento. Esse foi uma consignação de cerca de 10 kg, enviado para Londres. A partir daí, Taylor ficou conhecido como “Pai do Chá” no Sri Lanka. Da primeira inserção das ervas até hoje, a produção começou a se difundir por todo o território. As regiões produtoras estão agrupadas principalmente entre as montanhas do maciço central da ilha e nos foothils do sul.

Variações de sabor x clima

Veja também: 5 casas de chás para se conhecer ao redor do mundo

Devido a variação do clima que existe no Sri Lanka, algumas espécies se desenvolvem com mais facilidade. As condições particulares influenciam no sabor, gosto e aroma de cada chá. Aquelas variações cultivadas em altitude baixa, que estão expostas a longos períodos de sol, sem chuvas num ambiente cálido e úmido, apresentam um líquido de cor puxada para o vinho, justamente pela aparência anegrada das folhas. Além do mais, o sabor assume uma nota forte de malte.

Já os chás que são oriundos de altitude elevadas, cultivados a 3.000 metros acima do nível do mar, são totalmente diferentes da primeira variação descrita, principalmente quando levado em consideração a época do ano. Sofrendo interferência dos ventos frios e ambiente seco e fresco, as variações dos chás apresentam coloração mel dourado, com tons verdosos e pastosos.

Certificações

Somado a isso, o fato da produção de chá no país adere a quase todas as convenções, acordos e certificações internacionais relacionadas ao meio ambiente fez com que ele ganhasse ainda mais destaque. O Sri Lanka é detentor do primeiro e único chá certificado como ‘Amigo da Camada de Ozônio’ no mundo.

Oriente: conheça o saboroso chá árabe

A passagem da data pelo mundo

Para festejar a passagem dos 150 anos de cultivo dos chás no Sri Lanka, as embaixadas e empresários cingaleses estão organizando uma série de atividades ao redor do mundo. Entre os países que receberam as comemorações, o Brasil não ficou de fora. A festa aconteceu no mês de julho de 2017, nos jardins da Embaixada do Sri Lanka, em Brasília. A comemoração reuniu hoteleiros, restauradores, diplomatas e jornalistas.

Durante o evento, o embaixador do Sri Lanka no Brasil, Jogath Jayasuriya lembrou a importância dos chás para a economia do país e ressaltou o posicionamento da ilha perante o mercado mundial. “O cultivo de chás hoje emprega 10% da nossa população e mobiliza todas as regiões do país, já que 60% da produção vem de pequenos produtores espalhados por nossas planícies”, disse o embaixador em entrevista publicada no site Finíssimo.

A economia do Sri Lanka

O Sri Lanka é um país asiático localizado ao largo da extremidade sul do subcontinente indiano. Ele tem costas para a baía de Bengala a leste, oceano Índico a sul e a oeste, e o estreito de Palk a noroeste, que o separa da Índia. A ilha tem cerca de 65.000 km² e possui comprimento máximo de 432 km e largura de 224 km. O budismo corresponde a religião de pelo menos 70% da população.

Veja também: A tradição do chá na Rússia

A economia do Sri Lanka é baseada na exportação de produtos primários, como grafite, produtos têxteis, coco e borracha. Nessa lista também entra o chá, que aparece como um dos principais produtos. Até o início da década de 1990, o Sri Lanka era o maior exportador mundial de chá, porém a guerra fez com que os investimentos em seu cultivo declinassem ano a ano.

Veja mais!