Escrito por em 24/05/2017

Essa planta pertencente à família das Amaranthaceae, o periquitinho pode ser conhecida por vários outros nomes, dependendo do local onde é encontrado. Entre o mais comum, destaque para periquitinho de espinho. Assim como acontece com outras espécies da flora mundial, o periquitinho possui muitos benefícios para a saúde.

Mesmo se tratando de uma planta natural, é importante que o médico seja consultado, antes mesmo de recorrer a qualquer receita natural que use o periquitinho como ingrediente. Isso vai garantir que o paciente não desenvolva qualquer tipo de complicação ocasionado por uma reação inesperada entre as substâncias da planta e o organismo humano.

Na medicina natural, a parte da planta que pode ser consumida são as folhas. Elas entram como ingrediente principal na composição do chá usado no tratamento alternativo para algumas doenças.

Propriedades e benefícios do chá de periquitinho

Foto: depositphotos

Propriedades medicinais do periquitinho

Essa espécie de planta possui propriedades medicinais que podem ajudar no processo de tratamento e cura de algumas doenças. Entre as principais estão: a diarreia infantil; incômodos no estômago, fígado e intestino, problemas no rins e incômodo sentido pelas crianças no desenvolvimento da primeira dentição.

Chá de periquitinho

Depois da aprovação do médico, o periquitinho pode ser incluído no combate a qualquer uma das doenças citadas anteriormente. Para isso, a forma mais aconselhável é através do preparo do chá, assim, você vai precisar de 200 ml de água filtrada e um punhado de folhas frescas ou secas da planta.

O primeiro passo a ser seguido é colocar em uma panela com a água para ferver. Assim que você perceber que a água já está borbulhando, basta desligar o fogo e acrescentar as folhas da erva. Deixe o recipiente descansar por cerca de 10 minutos. Não se esqueça de deixá-lo tampado.

Passado esse tempo, retire todas as folhas de periquitinho com ajuda de uma peneira. Logo em seguida, a bebida já estará pronta para ser ingerida. A indicação é que o consumo diário não ultrapasse as três xícaras.