Escrito por em 30/01/2018 (atualização: 13/04/2018)

Conhecida como erva silvina, esta planta pertence à família das Polypodiaceae e tem como nome científico Microgramma vacciniifolia. Esta espécie é também conhecida como erva-teresa, silvina, solda, soldinha, dependendo de qual localidade ela aparece.

Rica em propriedades, esta planta pode ser usada para tratar problemas de saúde que acometem os seres humanos.

Propriedades da erva silvina

  • Adstringente;
  • Antidiarreica;
  • Antidisentérica;
  • Anti-inflamatória renal;
  • Antinefrítica;
  • Antirreumática;
  • Diurética;
  • Balsâmica.
O nome científico da erva silvina é Microgramma vacciniifolia

Essa planta também contribui para a estética do corpo (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

Benefícios da erva silvina

As propriedades medicinais presentes na erva silvina concedem a esta planta diversos benefícios à saúde do organismo, principalmente quando está relacionado ao sistema respiratório, como bronquite, gripes, tosses, catarros crônicos e resfriados. Além disso, a erva protege a laringe, as veias e também o coração.

Erva silvina é indicada ainda no tratamento de hemoptise, hematúria, gota, reumatismo e varizes. A planta também contribui para a estética do corpo, sendo ideal para eliminar as frieiras, as coceiras de pele e as rachaduras.

Veja também: Aprenda a fazer um chá para tratar problemas no pulmão, asma e bronquite

Como preparar e usar este chá?

Toda a erva silvina pode ser usada no preparo de seu chá, porém o modo de preparo é diferente. Por exemplo, se for o chá das folhas o processo se dá através da infusão desta parte em água fervente.

Caso a bebida seja feita com as raízes da erva, o procedimento já é outro, sendo por meio da decocção. Ou seja, primeiro machuca as raízes e depois coloca-se em infusão dentro de uma xícara de água fervente por 10 minutos.

Depois de pronto, o chá deve ser consumido logo após esfriar. A dica é ingerir apenas uma xícara desta bebida por dia.

Veja também: Como fazer chá de cavalinha

Cuidados essenciais

Não há registros de nenhuma reação negativa com o uso desta erva para tratamentos no organismo humano.

Contudo, antes de fazer uso deste remédio natural, é necessário ter feito alguma consulta com um médico especialista para saber o grau clínico do problema apresentado.

Por isso, a dica é nunca se automedicar para não colocar em risco ainda mais a saúde.

Veja também: Chás para tratamento da gota

Veja também:

5 chás para curar gripes e resfriados