Escrito por em 30/03/2017

De nome científico Solanum Nigrum, a erva moura é uma planta pertencente à família das Solanáceas, sendo também conhecida por outras denominações, como solano, arachichu, maria-preta e pimenta-de-galinha.

Trata-se de uma planta herbácea anual que alcança até 50 cm de altura e possui caule ereto, anguloso e ramificado. As suas folhas são esparsas, pecioladas, geminadas e acuminadas, de coloração verde escuro; já as pequenas flores são brancas e possuem cinco pétalas, agrupadas em inflorescências axilares.

As partes aéreas secas da erva moura são utilizadas para tratar determinadas condições de saúde.

Propriedades e benefícios

O chá da erva moura alivia coceiras das sarnas, herpes e demais erupções

Foto: depositphotos

A erva moura é uma planta ruderal encontrada em todo o mundo e faz parte das farmacopeias indiana, chinesa e homeopática. Dentre as propriedades medicinais desta planta estão a sua ação sedativa e emoliente.

A erva moura é indicada para aliviar o prurido da vulva ou do ânus e para acalmar a coceira no caso de sarna, herpes ou outros tipos de erupções.

Chá de erva moura

A erva moura pode ser encontrada à venda em casas de produtos naturais, em pote ou saco plástico transparente com 40 gramas. Para preparar o chá da planta, basta colocar uma colher (de chá) do produto em uma xícara e completar com água fervente. Mexa, abafe com o pires e use ao amornar. Este chá pode ser consumido até 3 vezes ao dia.

O modo de preparo e uso pode variar conforme a idade. Confira a seguir:

  • Para crianças de até 01 ano: meia colher de café (rasa) da erva triturada para 50 ml de água fervente;
  • Crianças de 02 a 05 anos: 01 colher de café (cheia) para 100 ml de água fervente;
  • Crianças de 06 a 10 anos: 01 colher de chá (rasa) para 01 xícara de água fervente;
  • Acima de 10 anos e adultos: 01 colher de chá (cheia) para 01 xícara de chá de água fervente.

Contraindicações e efeitos colaterais

A erva moura não deve ser utilizada por grávidas e lactantes. Deve-se evitar o uso interno da planta fresca e das sementes verdes.

Em caso de ingestão de grandes quantidades de folhagem frescas ou frutos verdes, podem surgir sinais de irritação gástrica, enjoos, vômitos e dor de cabeça. Lembre-se que todo tratamento – inclusive o natural – deve ser iniciado apenas sob orientação médica. A automedicação pode ser muito perigosa, pois as plantas contêm substâncias tóxicas.