Escrito por em 17/01/2019 (atualização: 29/01/2019)

Você já se perguntou se o chá de hortelã emagrece? Para responder a essa e outras perguntas sobre a erva o Chá Benefícios preparou um artigo completo sobre todos os benefícios e como preparar e consumir esse chá, além de falar quais os cuidados necessários com o consumo.

Antes de mais nada é preciso saber que as diversas espécies de hortelã são umas das mais utilizadas em todo o mundo. Isso porque elas não são tratadas apenas como plantas medicinais, mas também como tempero em diversos pratos tradicionais e como saborizantes artificiais.(1)

As plantas conhecidas popularmente como hortelã fazem parte da família Lamiaceae e do gênero Mentha, que abriga mais de 20 espécies de plantas conhecidas pelo nome de hortelã.(2) De acordo com a farmacêutica especialista em plantas medicinais, Adriana Pereira Freire Junqueira, as espécies mais usadas no Brasil são as Mentha piperita, M. Spicata e M. viridis.

Por pertencerem ao mesmo gênero, a maioria das espécies de hortelã são plantas perenes e que são cultivadas em locais úmidos. As folhas costumam ser pequenas, simples e bastante aromáticas e são a parte usada para fins culinários e medicinais.

Xícara com chá de hortelã

Além de combater a ansiedade, esse chá é diurético (Foto: depositphotos)

Além disso, elas são ricas em óleos essenciais que são compostos por diversas substâncias fitoquímicas responsáveis pelos benefícios do consumo da erva. O principal desses compostos é o mentol, que representa mais da metade da composição do óleo essencial e traz diversos benefícios para os sistemas respiratórios e gástricos.(3)

Chá de hortelã ajuda a emagrecer?

O chá de hortelã pode ajudar a quem deseja emagrecer, mas não diretamente. De acordo com Adriana Junqueira, o que acontece é que o chá de hortelã ajuda a controlar a ansiedade.

Ou seja, consumir o chá pode diminuir o impulso por comer. Isso acontece principalmente quando algumas pessoas ficam nervosas ou ansiosas por diversos motivos.

Um estudo publicado em agosto de 2018 mostrou que a hortelã possui em sua composição fitoquímicos com efeitos ansiolíticos e hipnóticos. Logo, o chá é bastante usado para tratar problemas como insônia ou estresse em diversas partes do mundo. Dessa maneira, ajudando a eliminar e prevenir os principais causadores de compulsão alimentar.(4)

Além disso, Junqueira informa que a infusão feita com as folhas de hortelã possui ação diurética. Dessa maneira, a bebida possui substâncias que auxiliam os rins a filtrar o sódio presente no sangue, ajudando a desinchar o corpo, dando a impressão de perda de peso.

Veja também: Chá para emagrecer caseiro

Benefícios desse chá

Como já foi mencionado, as ervas chamadas popularmente de hortelã são uma das mais usadas em todo o mundo. Isso se deve não apenas pelo aroma e sabor característicos das folhas, mas também pelas diversas propriedades medicinais encontradas na erva.

Além de acalmar e ser usada como diurética, outros benefícios que a hortelã traz para a saúde são:

  • Para problemas gastrointestinais
  • É vermifuga
  • Eficaz no tratamento de problemas respiratórios
  • É analgésica
  • Anti-inflamatória, antibacteriana e antiviral
  • Tem efeito antioxidante
  • Previne o vômito
  • Diminui os riscos de acidentes cardiovasculares

Para problemas gastrointestinais

Junqueira informa que um dos principais usos para a hortelã é no tratamento de problemas que afetam o trato gastrointestinal. Sendo assim, a infusão pode ser consumida após as refeições, onde atua como um tônico que melhora o processo de digestão ou consumida em formas de cápsulas.

Essa última opção, ainda de acordo com a especialista, é indicada para quem sofre com a síndrome do cólon irritável (SCI). Essa doença pode causar sintomas como inchaço, fortes dores abdominais e diarreia ou prisão de ventre.

As cápsulas manipuladas são feitas com um material que resiste a ação do suco gástrico, atuando apenas ao chegar no intestino grosso, onde os compostos dela agem aliviando os sintomas da SCI.

É vermifuga

Outro benefício encontrado nas folhas de hortelã e apontados por Junqueira é a sua ação vermifuga. Agindo principalmente contra a giardíases e a amebíase, que são causadas por parasitas que se instalam nos intestinos delgado e grosso após a ingestão de água ou alimentos contaminados.

Eficaz no tratamento de problemas respiratórios

O sabor de hortelã é frequentemente associado a remédios para gripes e resfriados. Isso se deve ao fato dos óleos essenciais encontrados nas plantas serem eficazes contra problemas respiratórios.

Segundo Junqueira, a mais usada no Brasil para este fim é a hortelã-miúda, conhecida também como Mentha villosa, na forma de chás ou xaropes, que devem ser consumidos enquanto durarem os sintomas.

Além disso, alguns estudos feitos com a hortelã-comum (Mentha spicata) destacam a ação de componentes anti-histamínicos. Ou seja, fitoquímicos que ajudam a inibir a progressão de alergias respiratórias.(5)

É analgésica

Um dos efeitos poucos conhecidos da hortelã é a sua capacidade analgésica.

Esse efeito está relacionado aos óleos essenciais presentes nas folhas, que são ricos em fitoquímicos como o limoneno e o mentol. Estes dois são os responsáveis por promover a diminuição de dores em casos de artrite.(6)

Além disso, a hortelã ajuda a aumentar a tolerância a dor por causa de seu efeito antinociceptivo. Por fim, a infusão feita com as folhas também ajudou a diminuir a temperatura corporal, em pesquisas feitas em laboratório.(7)

Anti-inflamatória, antibacteriana e antiviral

As folhas de hortelã também apresentam propriedades anti-inflamatórias, que podem ajudar a cicatrizar lesões e diminuir o uso de medicamentos sintéticos, principalmente porque esses podem apresentar alguns efeitos colaterais.

O óleo essencial presente na hortelã também mostrou efeitos antibacterianos. Dessa maneira, o uso dele ajuda a inibir a proliferação desses micro-organismos que podem causar diversas doenças.(8) Por fim, ela também é antiviral.(9)

Tem efeito antioxidante

O chá de hortelã também é um poderoso antioxidante natural. Ou seja, ele ajuda a proteger as células da ação dos radicais livres, prevenir o envelhecimento precoce e ainda o aparecimento de diversas doenças. Como o câncer, por exemplo.(8)

Veja também: Chá antioxidante e detox é a febre do momento para purificar o organismo!

Previne o vômito

O chá de hortelã apresenta ainda efeito anti-hemético. Ou seja, ajuda a diminuir as náuseas e os vômitos.

Por isso é bastante indicado para pacientes que estão fazendo tratamento de quimioterapia. Sendo considerado um tratamento mais barato, seguro e eficaz que os medicamentos tradicionais.(10)

No entanto, segundo Junqueira, o ideal é que a infusão seja consumida fria ou morna, já que isso ajuda a acalmar o estômago e a diminuir os incômodos causados por esse problema.

Diminui os riscos de acidentes cardiovasculares

Estudos em laboratório indicaram que os óleos essenciais da Mentha suaveolens, chamada popularmente de mentrasto ou hortelã-brava, possuem efeitos cardiovasculares positivos.

Sendo assim, a erva ajudou a diminuir a pressão arterial e a prevenir a ação do hormônio responsável por isso  a melhorar a frequência cardíaca. Podendo então ser útil para diminuir os riscos de acidentes cardiovasculares decorrentes dos problemas citados.(11)

Propriedades nutricionais das folhas de hortelã

Além de apresentar todas as propriedades medicinais já citadas e ser útil para quem deseja emagrecer a hortelã apresenta poucas calorias. Cerca de cinco calorias para cada duas colheres de sopa da erva fresca, o que é equivalente a 11 gramas de hortelã.

Além disso, ela também apresenta pequenas quantidades de vitaminas e minerais. Como a vitamina C, folato ou B9 e cálcio, ferro, magnésio e potássio, por exemplo.(12)

Como preparar e consumir?

De acordo com a farmacêutica especialista em plantas medicinais, existem diversas formas de consumir a hortelã. Cada uma delas é mais indicada para um fim específico, já que faz com que as propriedades medicinais atuem de maneira diferente no organismo. A seguir você vai ver o modo de preparo de cada uma delas, confira.

Folhas de hortelã

Para fins medicinais, a hortelã pode ser consumida em forma de chá ou óleo essencial (Foto: depositphotos)

Chá

O chá feito com as folhas de hortelã é indicado para quem sofre com problemas gástricos, respiratórios ou deseja emagrecer com saúde. O ideal, de acordo com Junqueira, é consumi-lo morno após ou entre as principais refeições do dia, pois age como um tônico digestivo.

Para quem deseja aproveitar as propriedades calmantes da erva, a infusão também é a melhor pedida para o consumo.

O modo de preparo é bastante simples. Basta ferver uma xícara de água e deixar duas colheres (de sopa) de folhas de hortelã em infusão por cerca de 15 minutos. Junqueira alerta para não deixar as folhas fervendo, já que isso pode acabar com as propriedades medicinais.

A tintura, que é comprada em lojas de produtos fitoterápicos, também pode ser usada, principalmente para ser usada em problemas mais graves e com sintomas agudos.

Para mau hálito

Um outro uso bastante comum da hortelã é contra o mau-hálito. Para isso, Junqueira indica macerar 30 gramas de folhas da erva, que devem estar frescas, até que ela solte o sumo. Logo depois, misturar o líquido em um litro de vinho branco, coar e reservar. O indicado é usar essa infusão em bochechos 3 vezes ao dia.

Veja também: Chás para tratar o mau hálito

Como vermífugo

Como já foi dito, o óleo essencial de hortelã é um potente vermífugo. Para este fim Junqueira indica misturar o sumo de 20 gramas de folhas frescas para cada 300 ml de água. O ideal é que essa bebida seja consumida às colheradas, três vezes por dia durante cinco dias.

Contraindicações e cuidados

Junqueira informa que não existem nenhum risco para a saúde ou efeito colateral associado ao uso contínuo do chá de hortelã. No entanto, a erva não deve ser consumida em grandes quantidades, pois pode causar nefrite intersticial, infecção que atinge os rins, prejudicar a filtragem do sangue e até mesmo falência renal aguda. A dose considerada perigosa para humanos é de aproximadamente nove gramas.

Além disso, o óleo essencial de hortelã, que é chamado de mentol, não deve ser aplicado no nariz de crianças pequenas. Isso porque ele pode causar parada respiratória e até mesmo espasmos da glote, dificultando a respiração.

Por fim, o componente não deve ser usado por pessoas que tenham alguma obstrução do trato biliar, colecistite, que é uma inflamação na vesícula biliar, ou algum dano grave ao fígado. Uma vez que pode agravar esses problemas, alerta Junqueira.

*Artigo feito com a colaboração da farmacêutica especialista em Plantas Medicinais Adriana Pereira Freire Junqueira, mestre em ciência em saúde com foco em farmacologia das plantas medicinais.

(1) BARDAWEEL, Sanaa K et al. “Chemical composition, antioxidant, antimicrobial and Antiproliferative activities of essential oil of Mentha spicata L. (Lamiaceae) from Algerian Saharan atlas” BMC complementary and alternative medicine vol. 18,1 201. 3 Jul. 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6029017/. Acesso em:  17 de dezembro de 2018.

(2) BAYANI, Mahsan et al. “Study of Hypoglycemic, Hypocholesterolemic and Antioxidant Activities of Iranian Mentha Spicata Leaves Aqueous Extract in Diabetic Rats” Iranian journal of pharmaceutical research : IJPR vol. 16,Suppl (2017): 75-82. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5963648/. Acesso em:  17 de dezembro de 2018.

(3) SEVINDIK, Mustafa. Pharmacological Properties of Mentha Species. Journal of Tradicional Medicine e Clinical Naturopathy. v. 7, p. 259, dezembro de 2017. Disponível em: https://www.omicsonline.org/open-access/pharmacological-properties-of-mentha-species-2573-4555-1000259-97802.html. Acesso em:  17 de dezembro de 2018.

(4) CARO, Daneiva C. et al. Pharmacological Evaluation of Mentha spicata L. and Plantago major L., Medicinal Plants Used to Treat Anxiety and Insomnia in Colombian Caribbean Coast. Agosto de 2018. Acesso em:  17 de dezembro de 2018.

(5) Yamamura S, Ozawa K, Ohtani K, Kasai R, Yamasaki K 1998. Antihistaminic flavones and aliphatic glycosides from Mentha spicata. Phytochemistry 48: 131-136. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6106973/. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0031942297011126. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

(6) MAHBOUBI, M. Mentha spicata as natural analgesia for treatment of pain in osteoarthritis patients. Fevereiro de 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28107842. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

(7) YOUSUF, Patwary Md Hajjaj et al. Analgesic, Anti-Inflammatory and Antipyretic Effect of Mentha spicata (Spearmint). British Journal of Pharmaceutical Research, v. 3, n. 4. 2013. Disponível em: http://www.sciencedomain.org/abstract/1704. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

(8) BARDAWEEL, Sanaa K. et al. Chemical composition, antioxidant, antimicrobial and Antiproliferative activities of essential oil of Mentha spicata L. (Lamiaceae) from Algerian Saharan atlas. Julho de 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6029017/. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

(9) ORHAN, Ílkay Erdogan et al. Antimicrobial and antiviral effects of essential oils from selected Umbelliferae and Labiatae plants and individual essential oil components. Dezembro de 2009. Disponível em: https://journals.tubitak.gov.tr/biology/abstract.htm?id=12582. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

(10) TAYARANI-NAJARAN, Z et al. Antiemetic activity of volatile oil from Mentha spicata and Mentha × piperita in chemotherapy-induced nausea and vomiting. Julho 2012. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3562057/. Acesso em: 17 de novembro de 2018.

(11) R, Bello et al. Cardiovascular effects of the methanol and dichloromethanol extracts from Mentha suaveolens Ehrh. Agosto de 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11507742. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

(12) https://nutritiondata.self.com/facts/spices-and-herbs/226/2

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio (Mtb-PE: 6770). Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.