Escrito por em 21/05/2019

Você já se perguntou se pode dar chá de erva doce para bebê? Essa é uma dúvida bastante comum entre os pais, principalmente porque não são todos os alimentos ou bebidas que podem ser oferecidos às crianças pequenas.

Mas, ao contrário do que se possa pensar, a infusão de erva doce (Pimpinella anisum) é bastante indicada para aliviar as cólicas dos pequenos. Além disso, também ajuda a aumentar a produção de leite em mulheres que estão amamentando.

Neste artigo do Chá Benefícios você vai descobrir como dar a infusão para bebês, quais os efeitos dela no organismo dos pequenos e ainda os cuidados necessários que se deve ter com esse tratamento natural.

Chá de erva doce para bebê: é liberado?

O chá de erva doce pode ser oferecido aos bebês, mas com alguns cuidados. Quando usada corretamente, essa infusão apresenta propriedades digestivas e relaxantes, o que ajuda a evitar as temidas cólicas.

Bebê tomando chá na mamadeira

O chá de erva doce ajuda a diminuir e prevenir o surgimento de cólicas em bebês (Foto: depositphotos)

No entanto, é preciso destacar que até os seis meses de idade a criança só pode ser alimentada com o leite materno. Portanto, durante esse período nenhuma bebida ou alimento deve ser oferecido aos bebês.

Na verdade, o chá de erva doce é uma ótima opção para tratamentos naturais nessa fase da vida. E pode ser oferecido principalmente por causa dos seus efeitos positivos e das poucas contraindicações.

Contudo, apenas após os seis meses de idade. Além disso, devem ser oferecidas pequenas quantidades por vez e fora dos horários das refeições.

De acordo com informações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, durante os seis primeiros meses de vida o sistema imunológico da criança ainda não está completamente desenvolvido.

Por causa disso, ela precisa dos nutrientes e anticorpos presentes no leite produzidos pelo corpo da mãe. Esses componentes atuam na prevenção de infecções, diarreias e outros diversos tipos de doenças.

Ainda segundo os órgãos de saúde, introduzir outros líquidos, inclusive água, durante essa faixa etária, faz com que a criança não consuma tanto o leite materno. Consequentemente, ela acaba perdendo muitos nutrientes importantes. (1,2)

Benefícios da infusão para as crianças

Por causa da sua composição rica em compostos fenólicos e fitoquímicos que atuam no sistema digestório, a erva apresenta efeitos de relaxamento muscular e melhora a digestão. Evitando a formação de gases e, consequentemente, das cólicas.

A seguir você vai descobrir quais são os 8 principais benefícios da erva para os bebês. Confira:

  • Relaxante e calmante leve
  • Estimula a digestão
  • Possui propriedades antiespasmódicas
  • Alivia as cólicas
  • Evita a constipação e gases
  • Previne as náuseas e vômitos
  • Antibacteriano, antifúngico e antiviral
  • Rico em antioxidantes.

Relaxante e calmante leve

Um dos principais efeitos da erva doce no organismo é sobre o sistema nervoso central.  Ela age como um calmante e sedativo leve, ajudando a diminuir a irritação, agitação e insônia e ainda relaxando a musculatura.

Quando oferecida aos bebês, principalmente durante a noite, a infusão preparada com as sementes da erva proporciona uma melhora na qualidade do sono e faz com que a criança acorde menos durante a noite.

Desse modo, o chá de erva doce pode ajudar com esses problemas, mas é importante sempre procurar orientação médica para descartar qualquer problema de saúde. (1)

Estimula a digestão

O principal componente da semente da erva doce é o óleo essencial. Nele, são encontrados os principais compostos fitoquímicos responsáveis pelos benefícios no organismo, inclusive o de estimular a digestão.

Durante os primeiros meses de introdução alimentar, é comum que a criança sofra com problemas relacionados ao trato digestivo, principalmente porque ela não está totalmente adaptada a outro tipo de alimento, que não seja o leite materno.

Nesses casos, o chá de erva doce pode ser oferecido pouco tempo após as refeições e serve para estimular a formação do suco gástrico. Assim, a comida acaba sendo digerida mais rapidamente e evitando os desconfortos causados pela má digestão.

Além disso, o óleo essencial da erva doce ajuda a proteger a mucosa estomacal contra danos. O que é necessário até que a criança possa estar totalmente adaptada a receber outros tipos de alimentos. (2)

Evita a constipação e gases

Como esse chá promove o relaxamento muscular e a melhora na digestão, ele também consegue evitar a constipação e a formação de gases em crianças.

Isso porque, esses benefícios ajudam o trânsito intestinal, fazendo com que as fezes consigam transitar melhor pelo intestino. Além disso, o líquido consegue promover maior hidratação ao corpo.

Desse modo, o chá preparado com a erva é indicado para crianças que sofrem com o inchaço e incômodo causado pela prisão de ventre e gases, sem que seja necessário utilizar medicamentos sintéticos e invasivos ao organismo. (2)

Possui propriedades antiespasmódicas

Estudos feitos em laboratórios também confirmaram os efeitos antiespasmódicos da erva doce. Ou seja, ela diminui a contração muscular, especialmente devido ao efeito relaxante.

Por esse motivo, a infusão também pode ser efetiva contra a síndrome das pernas inquietas. Esse problema faz com que os portadores se mexam muito durante uma fase do sono e é bem comum em crianças.

Além disso, esse efeito também está ligado à diminuição das convulsões, que podem trazer sérias consequências para a saúde dos bebês. (2)

Alivia as cólicas

Ao aliar os efeitos antiespasmódicos e estimulante do sistema gástrico, a erva doce se torna uma grande aliada contra as cólicas. Esse problema é geralmente acompanhado de horas de choro e desconforto, e ocorre com maior frequência no primeiro trimestre de vida.

A principal causa de cólicas em bebês, de acordo com o Ministério da Saúde, é a imaturidade do sistema gástrico. O problema, nos meses seguintes, também pode estar relacionado com a mudança na alimentação e até mesmo à alergia a alguns alimentos.

Nessas situações, o chá de erva doce ajuda melhorando a digestão do alimento, fazendo com que ele seja eliminado mais rápido do trato gastrointestinal, diminuindo assim o desconforto.

Além disso, a infusão também previne a formação de gases e da prisão de ventre, outros fatores que podem causar cólicas dolorosas, principalmente nas crianças menores de 2 anos. (2)

Previne as náuseas e vômitos

Frequentemente, as crianças também tendem a sofrer com vômitos. E essa é outra condição relacionada à imaturidade do trato gastrointestinal, que não reconhece todos os alimentos ingeridos.

Desse modo, o uso do chá de erva doce após as refeições pode ajudar a evitar essa reação natural do corpo. Isso porque, o consumo da infusão age retirando o alimento do estômago, fazendo com que as náuseas diminuam.

Isso também ajuda a evitar o vômito, que é o resultado final, quando o corpo consegue expulsar a substância que estava causando o desconforto. (2)

Antibacteriano, antifúngico e antiviral

A infusão consegue inibir a proliferação de mais de 20 micro-organismos que podem causar doenças graves, principalmente em bebês que não possuem um sistema imunológico completamente formado.

Além de proteger as crianças contra as infecções causadas por bactérias, fungos e vírus, o chá também atua na melhora dessas doenças, favorecendo a eliminação dos micro-organismos. (2, 3)

Rico em antioxidantes

Por fim, o óleo essencial extraído da semente de erva doce é rico em compostos antioxidantes. Essas substâncias atuam impedindo a ação dos radicais livres que são responsáveis pelo desgaste das células do corpo.

Essa ação é muito importante nos primeiros anos de vida dos bebês, evitando danos ao organismo e ajudando a fortalecer o sistema imunológico. Além de prevenir diversas doenças.(2)

Como preparar o chá?

Você viu quais são os principais benefícios do chá para bebês e ficou com vontade de oferecer ao seu? Pois saiba que é preciso também ter cuidado durante a preparação da bebida.

Isso porque, a infusão oferecida às crianças deve ser mais fraca do que a consumida por adultos, devido à diferença de metabolismo e da forma de absorção de todos os compostos da erva.

A bebida também deve ser preparada sempre em pequenas quantidades, pois ela perde suas propriedades medicinais após 24 horas do preparo. Dito isso, confira como preparar essa infusão.

Ingredientes:

  • 1 xícara de água filtrada
  • 1 colher (de chá) de erva doce.
Chá de erva doce

O chá de erva doce para crianças deve ser menos concentrado (Foto: depositphotos)

Modo de preparo:

Leve a água ao fogo até que levante fervura. Quando começar a borbulhar, desligue e acrescente a erva doce, deixando a mistura em infusão por cerca de 10 minutos. Em seguida, coe e espere esfriar.

Uma dica importante: sempre busque ervas de boa qualidade e mantenha as mesmas guardadas em local seco e arejado. Pois qualquer microrganismo, que é inofensivo para adultos, pode causar infecções em bebês.

Como o chá de erva doce deve ser oferecido às crianças?

Mesmo que o chá de erva doce seja liberado para bebês, é preciso tomar alguns cuidados antes de oferecê-lo. O primeiro é sobre a temperatura, que deve ser sempre a ambiente.

Além disso, nunca deve adoçar a bebida. Nem com açúcar, nem com o mel. O primeiro, de acordo com o Ministério da Saúde, não deve ser oferecido até os 2 anos, pois é pouco nutritivo e causa dependência.

Já o mel, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, é completamente proibido durante o primeiro ano de vida, por causa dos riscos de botulismo caso o produto não seja esterilizado industrialmente.

É necessário prestar atenção aos horários e quantidades ao oferecer a bebida. O estômago das crianças é pequeno. Caso ela tome muito chá pode ficar cheia de algo que é pobre em vitaminas e gorduras. A longo prazo, isso causa desnutrição e problemas no desenvolvimento.

Por isso, é necessário que os pais prestem atenção e ofereça o chá de erva doce apenas nos momentos em que a criança não está com fome.

Já a quantidade, nunca deve passar de duas colheres (de sopa) por vez. Isso é o suficiente para que o organismo do bebê consiga absorver os benefícios da infusão e não se sinta estufada. (4)

Referências

(1) SAMOJLIK, Isidora et al. “The influence of essential oil of aniseed (Pimpinella anisum, L.) on drug effects on the central nervous system“. Fitoterapia, v. 83, n. 8, p.1466-1473, dezembro de 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.fitote.2012.08.012. Acesso em 3 de maio de 2019.

(2) SHOJAII, Asie; FARD, Mehri Abdollahi. “Review of Pharmacological Properties and Chemical Constituents of Pimpinella anisum“. ISRN Pharmaceutics, v. 2012, 8 p. Disponível em: https://dx.doi.org/10.5402%2F2012%2F510795. Acesso em 3 de maio de 2019.

(3) TRAJANO, Vinicius Nogueira et al. “Propriedade antibacteriana de óleos essenciais de especiarias sobre bactérias contaminantes de alimentos“. Comida, ciência e tecnologia [online], v. 29, n. 3, p. 542-545, [2009]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-20612009000300014. Acesso em 3 de maio de 2019.

(4) Ministério da Saúde. “Guia alimentar para crianças menores de 2 anos“. 1ª edição, 2005, Brasília. Disponível em: bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_criancas_menores_2anos.pdf. Acesso em 3 de maio de 2019.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio (Mtb-PE: 6770). Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.