Publicado por Redação

A quina mineira, de nome científico Remijia ferruginea, é uma árvore que, como o próprio nome já indica, habita parte do estado de Minas Gerais, além de crescer na região dos sertões de Goiás.

A planta de casca mole e amarelada apresenta folhas ovais e duras, sendo também conhecida como quina-do-campo, quina-do-mato, remija e quina-do-pará. Assim como várias plantas presentes na natureza, a quina mineira também é capaz de oferecer benefícios ao nosso organismo.

Propriedades e benefícios

Existem certas propriedades medicinais nas cascas da quina mineira que são úteis no tratamento de problemas de saúde como febres e anemias.

Chá de quina mineira é um tônico aperitivo, por isso aumenta o apetite

Foto: depositphotos

A planta também pode ser um tônico aperitivo, sendo indicado para as pessoas que estão com dificuldades para se alimentar. A quina mineira pode ajudar no aumento do apetite e combater os agentes infecciosos oportunistas. A planta também tem propriedade anti-inflamatória e pode ser usada nos casos de inapetência, dispepsia e debilidade.

Chá de quina: como preparar?

A parte utilizada da quina mineira é a sua casca, já que nessa região são encontrados os nutrientes capazes de proporcionar os benefícios ao organismo humano. Para preparar a infusão com a planta, basta colocar três gramas da casca em uma única xícara de água fervente. Em seguida, tampe o recipiente e aguarde por até minutos.

Após esse período de tempo, coe a bebida e consuma de uma só vez. Não acrescente açúcar ou outro adoçante na bebida, caso contrário os efeitos benéficos podem ser reduzidos.

Cuidados

Não foram encontradas contraindicações para o uso da quina mineira, no entanto, é necessário lembrar que as plantas medicinais também podem provocar uma série de efeitos adversos. Por isso, sempre procure um especialista antes de iniciar qualquer tipo de tratamento, inclusive natural. Lembre-se que apenas um médico poderá avaliar cada caso detalhadamente.

Veja mais!