Escrito por em 14/12/2016

Nativa do Peru e do México, a planta capuchinha que pertence à família das Tropeoláceas, foi apresentada ao restante do mundo pelos europeus que descobriram estas regiões de sua origem. Por ter sido encontrada, primeiramente, nestes dois países, a planta também recebe o nome de agrião-do-méxico e agrião-grande-do-peru.

Além destas nomenclaturas, capuchinha também pode ser chamada de capuchinha-de-flores-grandes, flor-de-chagas, capuchinha-grande, agrião-maior-da-índia, flor-de-sangue, mastruço, mastruço-do-peru, nasturio, sapatinho-do-diabo etc.

Além dos vários nomes que ela possui, a planta também conta com uma diversidade de propriedades que beneficiam o organismo humano.

Características da planta

Chá de capuchinha ajuda a tratar bronquite

Foto: depositphotos

De todas as partes que a capuchinha possui, apenas três são ricas em propriedades medicinais, são elas: folhas, flores e sementes. Para plantar esta espécie é preciso reservar um ambiente com temperatura amenas, pois ela não tem resistência à climas muito quentes. Deve ser regada todos os dias e adubada frequentemente, para crescer de forma apropriada, podendo alcançar até 3m de altura.

Propriedades e benefícios da capuchinha

  • Anti-inflamatória das vias urinarias;
  • Antirreumática;
  • Anti-ofídica;
  • Diaforética;
  • Diurética;
  • Emenagoga;
  • Laxante;
  • Pulmonar.

Diante destas propriedades, é possível tratar diversos problemas de saúde como bronquites, tosses com presença de secreção catarral e outros distúrbios pulmonares. Além disso, a planta é eficaz no tratamento de disfunções no estômago, facilitando digestão, aumentando o apetite de quem possui problemas para comer, age como calmante e ainda evita prisão de ventre.

Todos estes benefícios são relacionados à saúde, porém, esta planta também pode ser usada com cunho estético. Assim, ela combate a queda de cabelos e ainda é eficaz para melhorar os aspectos da pele.

Formas de usar

Para utilizar a capuchinha e usufruir de seus benefícios, use a seguinte proporção de ingredientes: para cada litro de água filtrada, quatro colheres (de sopa) da folhas picadas ou duas colheres (de sopa) das sementes.

Em ambas as situações, o tratamento terá um retorno positivo. Portanto, coloque o líquido no fogo e após a fervura, retire do fogão e acrescente as folhas. Tampe o recipiente e deixe em infusão por 10 minutos. Após o tempo determinado, coe o chá e utilize-o para o fim desejado.

Caso a ideia seja fazer com que a bebida trate problemas internos, você deve ingerir de duas a quatro xícaras por dia. Contudo, se a proposta é cuidar da estética, então, este chá deve ser colocado nos cabelos ou nas regiões da pele. Depois de 15 minutos na área aplicada, basta lavar com água corrente e repetir o processo uma vez por semana.