Escrito por em 06/12/2016 (atualização: 12/01/2017)

Planta da família das Aquifoliaceae e que possui como nome científico Ilex aquifolium, a azevinho também é conhecida como mirto espinhoso. Trata-se de uma árvore de tamanho médio, alcançando no máximo 15 metros de altura.

Ela tem sexualidade definida, obtendo arbustos femininos e masculinos. Diante de tantas partes, como raízes, caule, folhas e flores, as propriedades medicinais dela podem ser encontradas em seus rizomas. Descubra!

Propriedades e benefícios desta planta

Adstringente e analgésica, estas são as duas principais propriedades que podem ser conferidas com o consumo de azevinho. Por estas razões é que a planta consegue tratar diversos distúrbios que acometem o organismo, como problemas hepáticos, cólicas, febres, dispepsia e histeria. Além disso, a erva é indicada no tratamento de enfermidades do estômago, intestinos e ossos, como o reumatismo.

cha-de-azevinho-e-uma-eficiente-analgesico

Foto: Reprodução/Wikipedia

Chá de azevinho

A bebida feita com esta planta é feita através de dois processos, ebulição e infusão. Portanto, primeiro é preciso adicionar um punhado de rizoma de azevinho em um litro de água e colocar no fogo. Em seguida, deixar ferver por cinco minutos. Após o tempo determinado, desligue o fogo e mantenha o recipiente fechado por mais 10 minutos.

Depois do processo de infusão, coe o líquido e beba uma xícara duas ou três vezes durante o dia. É importante ressaltar que a sobra deste preparo não deve ser mantida, nem dentro nem fora da geladeira por mais de um dia. Isto porque, o chá pode perder suas propriedades e seus benefícios com o tempo. Por isso, preserve bem e consuma durante o dia.

Cuidados com a saúde

Como pode ser visto, o chá de azevinho se preparado corretamente e ingerido de forma consciente pode trazer diversos benefícios à saúde. Contudo, o exagero da bebida pode causar intoxicação no organismo, principalmente no sistema digestivo, afetando os intestinos e estômago. Desta forma, um paciente pode apresentar vômitos, cólicas, náuseas, diarreia e dores abdominais.

Outro ponto que merece destaque é a contraindicação para este remédio, pois mesmo sendo natural ele pode interferir de forma negativa no organismo de algumas pessoas. Como é o caso das grávidas, lactantes e crianças menores de 12 anos de idade. Em todas esta situações, a melhor escolha é buscar tratamentos com acompanhamento médico.