Escrito por em 06/12/2016

A erva do colégio é uma planta usada na medicina alternativa para tratar diversos tipos de doenças, entre elas a elefantíase, úlcera, sífilis, astenia, entre diversos outros problemas.

A erva de colégio também é conhecida como pé de elefante, erva de veado, fumo da mata, erva do diabo, erva grossa, fumo bravo, língua de vaca, saçóia, suaçuaia, sossoia, suaçúcaá, suçaiá, suaçu-caá, suçauaiá e suçuaia.

A planta também serve como um excelente adstringente, ajuda a limpar os pulmões e a diminuir a produção de catarro, evita a formação de cálculos ou provoca a dissolução do mesmo, age contra Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) como a sífilis e é eficaz contra o reumatismo.

cha-da-erva-do-colegio-para-tratar-elefantiase

Foto: Reprodução/UFRGS/Rosângela G. Rolim

Ela ainda ajuda a calmar a tosse e as irritações da faringe, é vulnerária, tônica, emoliente, serve como um excelente diurético natural, estimula a produção do suor, combate febres altas e facilita a resolução das tumefacções e inflamações, fazendo com que os tecidos do organismo consigam voltar ao seu estado normal.

Chá de erva de colégio

O chá da erva de colégio é indicada para quem sofre de bronquite, catarro no pulmão, gripes e resfriados fortes e intermitente, reumatismo, úlcera, elefantíase, cálculos urinários, febre astênica e para mulheres que sofrem com o calor da menopausa.

Uso externo da planta

As folhas da erva de colégio também pode ser usadas de forma externa. Como um cataplasma, elas servem como um ótimo cicatrizante natural quando colocadas sobre as feridas.