Escrito por em 18/05/2018

Você conhece os benefícios e as propriedades do chá de quina? Originária das regiões montanhosas e tropicais das Américas Central e do Sul, a quina, também chamada de quina-amarela, quinaquina, raiz dos jesuítas ou cinchona peruana é uma erva que vem sendo usada na fitoterapia há vários anos, sendo capaz de curar inúmeras doenças.

O nome cientifico do gênero ao qual pertence a planta, Cinchona, foi dado em homenagem à esposa de Luis Jeronimo de Cabrera,  que foi vice-rei do Peru entre os anos de 1629 até 1647. Após contrair malária, a Condessa de Chinchon se curou graças ao uso da casca da quina.

Benefícios da quina

As partes utilizadas da quina para fins medicinais são suas folhas; cascas do tronco, ramos e raízes. Essas partes vêm sendo usadas durante séculos para amenizar e tratar diversas enfermidades, graças a suas diversas propriedades medicinais. São as principais delas:

Entre os benefícios do chá de quina estão suas ações antimaláricas e analgésicas

As folhas. cascas do tronco, ramos e raízes são as partes mais usadas para compor chás (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

 

  • Febrífugos;
  • Antimalárico;
  • Anti-inflamatório;
  • Digestivas;
  • Tonificantes;
  • Adstringentes;
  • Cicatrizantes;
  • Antianêmicas;
  • Anticancerígenas.

Veja também: Chá de azevinho é uma eficiente analgésico

Além disso, a planta estimula as funções intestinais, gástricas, digestivas e hepáticas, evitando assim uma série de doenças que atingem esses sistemas presentes no nosso organismo.

Curiosamente, algumas das plantas do gênero Cinchona produzem uma substância chamada quinina, que é um alcaloide em forma de pó branco de não possui cheiro e tem sabor amargo.

Com funções antitérmicas, antimaláricas e analgésicas, ele é o flavonoide utilizado na produção da água tônica.

Como fazer chá de quina

  • 2 colheres (de sopa) de cascas de quina;
  • 1 litro de água;
  • Açúcar, adoçante ou mel à gosto (opcional).

Preparo e consumo

Para fazer esta bebida é necessário fazer o processo chamado decocção, que consiste em adicionar o material (cascas, frutas ou raízes) na água antes mesmo de levá-la ao fogo.

Veja também: O poder analgésico do chá da erva de Santo Antônio

Coloque as duas colheres (de sopa) de quina na água e leve ao fogo. Assim que o líquido começar a ferver, desligue o fogo, tampe e deixe descansar por cerca de dez minutos.

Após isso, basta coar, adicionar algo para adoçar a bebida, se for de sua vontade, e estará pronto o chá. O indicado é consumir de duas a três xícaras de chá diariamente.

Contraindicações

O uso da quina em qualquer uma de suas formas de consumo é contraindicado para gestantes, lactantes e crianças. Doses elevadas da quina podem causas dores de cabeça, tonturas, surdez momentânea e irritação gástrica.