Publicado por Redação

Mesmo se tratando das substâncias naturais, sobretudo as plantas, os pacientes que recorrem aos seus princípios curativos para auxiliar no tratamento ou cura de alguma doença, a precaução deve ser companhia constante. Dependendo da espécie ou da forma com que o organismo reaja, elas podem trazer consequências para a saúde.

Por isso, a fim de evitar maiores complicações, o médico deve ser consultado. Essa é a precaução que se deve tomar com todas as plantas, incluindo o cedro do Líbano. A espécie tem poder relevante para a medicina natural, sobretudo no tratamento de algumas doenças em específico.

Dependendo do local onde é encontrado, o cedro do Líbano pode ser conhecido por vários outros nomes, a exemplo de cedro-rosa, cedro-vermelho, cedro-mogno, acuju, cedro-pardo, cedro-cheiroso, cedro-fêmea e cedro-amargo. Para uso medicinal, a parte da planta utilizada é a casca do tronco, sementes e flores.

baixe-a-febre-com-cha-de-cedro-do-libano

Foto: reprodução/Wikipedia

Propriedades medicinais

O Cedro do Líbano tem poder adstringente, antiespasmódico, aperiente, febrífugo, inapetência, tônico e vermífugo. Devido a isso, ele pode ser aplicado no processo de tratamento e cura de várias doenças, a exemplo de diarreia, disenteria, doença venérea, espasmo, febre, ferida, infecção em machucado, orquite, úlcera e vermes.

Chá de cedro do Líbano

Dependendo da doença a ser tratada, a parte da planta que deve ser usada no preparo do chá varia. Para tratar diarreia, disenteria, febre e inapetência é indicado o uso da casca do tronco. Já para obter os efeitos antiespasmódico, basta utilizar as flores. Para combater os casos de úlceras e feridas, a solução vem a partir da extração do óleo das sementes.

Para preparar o chá de cedo do Líbano você vai precisar 200 ml de água e 10 gramas de folhas secas da planta. Coloque a água para ferver, logo em seguida, acrescente as folhas. Deixe ferver por três minutos, desligue o fogo e deixe descasar por mais 10 minutos no recipiente com tampa. A ingestão deve ser de, no máximo, três xícaras por dia.

Veja mais!