Publicado por Redação

Gravidez, amamentação e os primeiros meses de vida dos bebês estão rodeados de mitos, principalmente quando se trata da alimentação adequada durante estes períodos. Uma dessas tantas crenças é com relação ao consumo de chá, especialmente na vida das crianças.

Assim, uma das perguntas mais comuns entre as mamães é: a partir de qual idade meu filho pode tomar chá? A resposta para essa questão depende de muitos fatores como o período do aleitamento, o tipo de chá ofertado à criança e a quantidade desta bebida.

Contudo, apesar das informações prestadas neste artigo, é ideal que a mãe busque esclarecimentos com o pediatra que acompanha a criança. Isto porque, este é o especialista mais indicado para definir aspectos positivos na alimentação do bebê.

A partir de que idade meu filho pode tomar chá?

Foto: depositphotos

Os seis primeiros meses de vida

Por recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, os seis primeiros meses de vida das crianças devem ser exclusivamente dedicados ao aleitamento. Em outras palavras, nada deve ser ofertado ao bebê durante este período, nem mesmo água. A amamentação deve ser a única fonte de alimento para o pequeno.

“O leite materno é o melhor alimento para o bebê, devido aos componentes nutricionais, anti-infecciosos, imunológicos e seus benefícios psicológicos e sociais”, diz a Enfermeira Maria Fernanda Dornaus, Coordenadora da Unidade Neonatal do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

É através dessa alimentação exclusiva que as crianças podem ser protegidas de possíveis diarreias e até pneumonia. Mas, após os seis meses de vida dos bebês, outros alimentos podem ser ofertados, inclusive alguns chás. Apesar disso, é importante lembrar que a amamentação deve continuar, pelo menos, até os dois anos de idade.

Quais chás podem ser oferecidos às crianças?

Apesar da abertura para outros alimentos após o sexto mês de vida, as crianças devem ter algumas restrições com relação aos chás. Nem todas as bebidas feitas com ervas naturais podem ser ofertadas aos pequenos devido aos princípios ativos de cada uma delas. Outras, porém, podem até ser benéficas na fase inicial da vida.

Erva-doce, hortelã, erva-cidreira e camomila são algumas das ervas que estão liberadas para serem utilizadas no preparo de infusão e oferecidas às crianças. Mas, sem a adição de açúcar e sempre em horários noturnos, não atrapalhando assim as refeições principais do dia.

Já as ervas que possuem cafeína, como chá preto ou mate, devem ser evitadas pois podem causar irritabilidade, falta de sono e ainda comprometem a absorção de ferro e zinco no organismo das crianças.

Atenção, mamãe!

Enquanto estiver amamentando, as mamães precisam tomar cuidado com o consumo de chás também. Neste caso, repete-se as orientações sobre os chás que podem e os que estão proibidos para as crianças. Assim, a mãe cuida da saúde do bebê e da própria qualidade de vida.

Veja mais!